Rescaldos

Rescaldo Semanal 13.02.2021

Internacional

A Multinacional Francesa Total anunciou a alteração na sua designação para “TotalEnergies” como parte de sua estratégia com vista a alcançar a meta de emissão zero de Carbono. O anúncio foi feito em París – França aquando da reunião do Conselho de Direcção. A mudança de designação poderá ter algumas implicações no corpo directivo e poderá significar novas políticas de gestão e cogestão. A fixação da base logística militar nas Ilhas Francesas de Mayotte, tem sido algo refutado por órgãos de comunicação da França. Há igualmente indícios de que apenas as tropas Moçambicanas devem garantir a segurança do megaprojecto. Refira-se que esta não tem sido a única mudança de gestores de multinacionais de empresas que operam Moçambique pois, a multinacional brasileira VALE Moçambique, que explora carvão mineral em Tete prepara-se para aceitar uma possível cogestão, depois da retirada da Mitsui.

A transferência e promoção de Dom Luiz Fernando Lisboa, Bispo católico da Diocese de Pemba para a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim – Brasil, com o título honorifico de Arcebispo foi matéria de debate nas redes sociais. Enquanto uns congratularam a decisão do Santo Padre, Papa Francisco, outros acham esta acção como sendo prematura pois, o povo de Cabo Delgado ainda precisa de ser ouvido, uma vez que Dom Luiz é uma das principais figuras que tem expressado o sofrimento da população de Cabo Delgado.

O Brasil manifestou nesta semana o desejo de apoiar Moçambique no combate ao terrorismo. Contudo, Santos Álvaro, Director para Europa e América no Itamaraty, diz que é preciso que haja canais diplomáticos para o efeito e que se definam os tipos de apoios que serão necessários. Do lado de Moçambique, segundo a Rádio Moçambique, o recado foi recebido pela Verônica Macamo, Ministra dos Negócios Estrangeiros e cooperação.

Portugal marcou o mês de Abril como o arranque da formação de militares Moçambicanos contra o terrorismo. A informação foi revelada a DW por João Gomes Cravinho, Ministro da Defesa. No pacote de ajuda, contempla apoios logístico e de equipamento.

Nacional                            

Parte de aliados de Mariano Nhongo que perpetravam ataques no Centro de Moçambique, encontram-se a formalizar as suas rendições e entrega de confissões ao Estado Moçambicano. Estes actos acontecem em simultâneo com várias outras rendições por parte de insurgentes na província de Cabo Delgado.

O Presidente de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, interagiu com o seu homólogo angolano, João Lourenço sobre vários temas entre eles, a mitigação do Covid-19 e a eliminação do conflito armado que assola a província de Cabo Delgado desde Outubro de 2017 .

A morte do recém nomeado General militar, Eugénio Mussa, foi destaque em muitos órgãos de comunicação social. A sua morte occore numa altura em que o mesmo não havia completado sequer um mês no cargo. Várias individualidades classificaram a morte do General Mussa como sendo precoce e de ‘Duro golpe’.

Informações postas a circular no blog de notícias denominado Defesa de Moçambique e repercutidas por vários órgãos de comunicação social, apontam ter havido escaladas de bombardeamentos aéreos em distritos (matas) de Macomia e Muidumbe que resultaram na morte de vários cabecilhas de insurgentes e com o destaque, cooperantes estrangeiros da mesma insurgência.

Um estudo levado a cabo por uma das universidades nacionais encontra-se a apresentar os resultados preliminares de sua investigação, na qual destaca o perfil de jovens que integraram a insurgência. O estudo destaca que parte das pessoas radicalizadas sejam principalmente, pescadores, jogadores de futebol recreativo e desvinculados dos Serviços Militar Obrigatório. A recolha dos resultados do estudo decorreu em todos os distritos costeiros das províncias de Cabo Delgado e Nampula.

Cabo Delgado

Foi implementada na presente semana uma escolta militar bastante sofisticada no troço Palma à Mueda, via Phundanhar. Fontes do Pinnacle News reportaram que todas as viaturas que iniciaram a sua partir de Palma à Mueda, passando por Nangade, percorreram o trajecto de aproximadamente 200 quilômetros com a duração de três dias e duas noites.

Parte das 24 viaturas eram militares e estavam estrategicamente posicionadas na fileira para garantir a devida protecção. Em caso de avaria de uma das viaturas ao longo da marcha, toda coluna pausava por forma a prestar assistência mecânica a viatura avariada de forma conjunta. Nesta última coluna que chegou em Mueda, na 2ª feira passada, resgatou o corpo de pelo menos um motorista que havia escapulido há duas semanas em matas densas, alimentando-se de mangas e outros frutos silvestres. O mesmo havia sido anunciado como capturado, e posteriormente morto no ataque efectuado a pelo menos 4 viaturas, há duas semanas.

Ao longo do trajecto, a coluna era também escoltada por via aérea por pelo menos dois helicópteros. Em uma ocasião, um elemento das FDS caiu juntamente com a sua munição (metralhadora) de uma das viaturas militares que fazia escolta e foi prontamente socorrido pelos seus colegas. Aponta-se como motivo da queda a fadiga e sono em pleno trajecto. Ao longo deste trajecto de aproximadamente 200 quilômetros, grande parte do qual de terra batida, tem mais de 50 posições militares o que teoricamente representa uma posição a cada 4 ou 5 quilômetros. –

A ginastica militar e de forma redobrada nesta cintura de Phundanhar acontece também para responder com a crise humanitária que se verifica em Palma e que se denota na inflação de venda de produtos de primeira necessidade, neste ponto da província de Cabo Delgado. Um cenário semelhante a este verificou-se ao regresso facto que ao longo da semana finda houve duas viagens do gênero sendo uma a ida e a outra, a volta.

O desaparecimento físico de um outro motorista no mesmo trajecto entre Palma a Mueda, via Phundanhar, ficou finalmente esclarecido por uma fonte familiar com fortes alegações trazidas ao Pinnacle News de que este foi capturado e detido numa das celas de um dos distritos, por ter sido encontrado em flagrante carregando enormes quantidades de espécie de frutos do mar, interditos para a comercialização ou exportação. Para o Pinnacle News publicou anteriormente, com base numa fonte familiar que o motorista havia sido capturado pelo grupo de insurgentes.

Foi também anunciado pela media o regresso para o convívio familiar de pelo menos um dos três jovens que se entregaram as autoridades policiais em Cabo Delgado, com alegações de terem sido membros da Al-shabaab, por longos meses. Este caso, foi narrado pelo Pinnacle News nas anteriores edições e importa acrescentar que, o pacato povoado de Yahonde, no distrito de Memba, foi o local de entrega aos familiares com fortes apelos para o controle dele e de outros jovens locais, para não aderirem à matanças. Os apelos foram extensivos a comunidade local para o acolherem e reinserirem. Para o Pinnacle News, o destino dos outros dois que faziam o trio são desconhecidos.

Um número não especificado de mulheres e crianças acaba de se apresentar na cidade de Pemba. Na ocasião, elas informaram que parte delas ficou nas ilhas do Distrito de Ibo. As mesmas dizem que acabam de ser dispensadas no seio de insurgentes, depois de estarem nos seus cativeiros, por muitos meses. A liberdade deles deveu-se a mais um ataque aéreo que incapacitou boa parte de insurgentes bem como, a escassez de comida, no seio deles. A apresentação aos mídias de alguns integrantes desta camada pode acontecer na semana que vem, depois de passarem por algumas interrogações por parte de dirigentes militares que se encontram a recolher mais dados, diante destes.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Subscreva a nossa newsletter diária

Verifique na sua caixa de correio ou na pasta de spam para confirmar a sua subscrição.