Rescaldos

Rescaldo Semanal 10.07.2021

Internacional

O anúncio por parte de Ruanda, de envio de um contingente militar composto de mil homens e de diferentes especialidades para o combate a insurgência implantada em Cabo Delgado, foi recebida com sustos por parte de vários analistas. Borges Nhamire, investigador do CIP questionou no seu Tweet se seria ou não necessário ter o aval do Parlamento moçambicano, sobre a aparição e desdobramento destas tropas, no solo pátrio moçambicano. Marcelo Mosse, Director do Jornal @Carta, também questionou se seria mesmo Moçambique a encabeçar esta guerra, uma vez que alguns Moçambicanos que estão na dianteira do Centro operacional Norte, já mostraram os seus graus de envolvimento em roubos, falcatruas, matanças e violações de direitos Humanos! Outros, acreditam que com forças ruandesas já no terreno e as da SADC a caminho, a província toda, seja considerada uma província militarizada. Saiba-se que esta é o primeiro apoio formalmente expresso para Moçambique e por de trás da Ruanda, a SADC promete dar o seu melhor em recursos.

O monitoramento da trajetória internacional destes militares Ruandeses ao solo Pátrio Moçambicano foi feito pelo especialista em geolocalizações com o cognome Il Kanguru este que deu em sua página do Tweet o inicio em Ruanda – Kigali e termino em Moçambique – Nacala, como primeiro destino.

Entretanto, o Presidente da República de Moçambique, Filipe Jacinto Nyusi, anunciou em Cabo Delgado – Mueda que a chegada de militares estrangeiros para Cabo Delgado e em distritos inseguros, não significa que eles venham tomar o rumo dos acontecimentos, mas sim vem apoiar os moçambicanos. Nyusi de regresso de Mueda, escalou Metuge – Miezi para sensibilizar vários Munícipes para que haja controle rígido de gente que queira mobilizar jovens a se filiarem na insurgência, em troca de dinheiro e promessas mal falsas. Estes apelo são anunciados numa altura em que também anunciou-se a morte em combate de 150 insurgentes, em conflitos frontais que levaram dias, entre Mocimboa da Praia e Palma.

A presença de tropas estrangeiras vem sendo efetivada desde o primeiro semestre de 2021, com a presença de instrutores de países amigos de Moçambique, treinando forças, em outras Províncias seguras de Moçambique.

Foi também notícia, a captura no solo Pátrio Moçambicano de espiões e material digital de espionagem de uso exclusivo por sul Africanos. O facto criou também despromoções de superiores da inteligência sul africana enquanto que o caso está a ser corrigido diplomaticamente, já que houve notórias falhas de cooperação para a vinda e circulação dos mesmos. Recorde-se que há muito que se acusa haver também, insurgentes de nacionalidade Sul Africana.

Nesta semana, anunciou-se que Moçambique tem novas (sem especificar aonde, com exatidão) áreas para a prospecção de petróleo e Gás. Esta boa nova foi dada a Lusa, pelo Ministro de Recursos Minerais e Energia, Max Tonela.

Nacional

A detenção de Momade Rassul em Maputo ainda é segredo de justiça. Contudo, internautas avançam com várias hipóteses e especulações dentre as quais, fuga ao fisco, esquema de rombo financeiro em dois países sendo Moçambique e África do Sul, declaração e penhora de bens inexistentes, principalmente. Uma vez que Rassul tem origens estrangeiras, muitos ligam a sua actual detenção, com casos relacionados com conflitos de Cabo Delgado, facto que estará esclarecido, ao longo do julgamento que lhe espera.

Vozes de amnistia por parte de jovens que puderem se arrepender e se entregar de livre e espontânea vontade, aparecem a cada dia. O Coronel Omar Saranga, na qualidade de Porta-voz e a partir de Maputo, disse que “Jovens terroristas arrependidos podem apresentar-se junto das autoridades e lideranças locais, estes que têm instruções previas para lhes receber e reintegra-los na sociedade”.

Ainda nesta semana, Mirko Mazoni, enviado especial da ONU para Moçambique, foi acusado ter mantido contatos e com Mariano Nhongo, na Província de Sofala onde lhe assediou com 4 milhões de Meticais para que saia das matas e largue a rebelião por ele iniciada. A proposta foi rejeitada pelo homem que conota Ossufo Momade como verdadeiro traidor da Renamo.

Cabo Delgado

Militares anunciaram a libertação de 120 civis de locais de confrontos entre militares e insurgentes que mais uma vez, pretenderam atacar e ocupar o espaço concessionado a Total. De igual forma, foi identificada pelo menos uma adolescente potencial informante a qual, ganhava dinheiro liquido por missão de reconhecimento de posições de militares, tipo de uniforme, escalas de rendição e armamento disponível. Quanto a esta, o elenco militar promete protege-la em local seguro e provavelmente, fora de Cabo Delgado.

Uma posição de militares e antigos combatentes foi alva de ataques de insurgentes, nesta semana. Contam-se no total, 9 vidas perdidas algumas das quais, de antigos combatentes. Entretanto, há informações de que insurgentes conseguiram apanhar civis e dar o único recado que se resume na evasão total, atempada e definitiva de civis.

Ossufo Momade visitou alguns Municípios da Província de Cabo Delgado em trabalho rotineiro político do seu partido. O líder da Renamo, também conselheiro do Estado, conseguiu se expressar diante da imprensa, a favor de botas estrangeiras em Cabo Delgado, para combater os insurgentes.

Há mais apoios humanitários a chegarem em Cabo Delgado, alguns dos quais, pousam primeiro, em Nampula – Nacala Porto, o local recentemente baptisado pelo Presidente da República de Moçambique como sendo o Centro logístico Humanitário.

As Caritas de Moçambique acabam de retomar serviços de providencia de alimentos a deslocados de guerra, pela Província de Cabo Delgado. Milhares de famílias de deslocados que escolheram o Distrito de Montepuez para viver, tiveram de receber das caritas, óleo alimentar, arroz, farinha, cobertores, calçados, mascaras da boca e nariz e roupa de segunda-mão, doada por cidadãos de boa-fé, nas restantes Províncias de Moçambique. Paralelamente a este dom, a esposa do Governador de Cabo Delgado, Edna Algy Tauabo, apelou recentemente em Miezi, Distrito de Metuge para que haja muito mais apoios aos deslocados e com o enfoque para a mulher e criança deslocada. O mesmo apelo foi feito no ultimo Conselho Consultivo provincial a quando o Governo avaliava o desempenho do Distrito de Mocimboa da praia onde se apelou na prevalência e trabalhos da máquina Governamental, nos distritos cujos quais, os asseguram e sempre notificar aos parceiros para que haja apoios multiformes, aos deslocados de Mocimboa expostos em províncias de Cabo Delgado e Nampula. Dentre vários apoios, o de combate ao Covid 19 deve ser massivamente repercutido; – Disse-se na XI Sessão Ordinária do Conselho Executivo Provincial.

O Millenium Bim bloqueou serviços de transação de WesternUnion, pela província de cabo Delgado.  Estas operações foram desactivadas há meses e não são feitas recepções e entregas de dinheiro, a partir deste canto de Moçambique. A medida visa ao bloqueio de possíveis fluxos de capitais por parte de facções de insurgência.

Pelo menos dois vídeos amadores, de 30 segundos cada, circularam em redes sociais onde militares devidamente fardados exibiam dinheiro liquido, fruto de “ginasticas” por eles feitas, na zona de teatro operacional Norte. Os mesmos suscitam diversas interpretações nas redes sociais e ainda não houve algum pronunciamento em defesa dos supracitados. Contudo, muito mais demonstrações de assaltos aos ATM’s foram expostas também em redes sociais, depois de exibições destes curtos vídeos, correlacionando a possibilidade de ter havido assaltos, ao longo de confrontos entre militares e insurgentes, num dos distritos costeiros outrora atacados.

O Governador de Cabo Delgado, Valige Tauabo, visitou recentemente os distritos de Ibo e Quissanga, tendo interagido com populares destes distritos. Este dirigente, foi pedido para que as tropas coloquem o fim de ataques e focos de ataques nestes distritos, como forma de dinamizar o comércio e vida de Cidadãos desta parcela de Cabo Delgado. Alguns disseram que são deslocados e gostariam de voltar as suas terras de origem, mediante a esforços que o Governo Provincial possa fazer. Em gesto de resposta, o Governador disse que perto de 700 residentes de Tandanhangue, são deslocados de guerra e o Governo tudo tem estado a fazer para repor a ordem e tranquilidade não apenas naquele Distrito mas sim, na Província e no País. Valige Tauabo saiu satisfeito de cada um daqueles Distritos, após breves encontros com lideranças comunitárias e com agenda única: “Sensibilizar a camada Juvenil para não endoçar a agendas obscuras e de promessas de emprego”.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Subscreva a nossa newsletter diária

Verifique na sua caixa de correio ou na pasta de spam para confirmar a sua subscrição.