Perdidos e Achados

Os Top 5 profissões / ocupações mais procuradas no seio de insurgentes de Cabo Delgado

Depois do ataque ao Distrito de Palma, insurgentes capturaram mais de 255 pessoas e na sua maioria, jovens de ambos sexos. Os mesmos foram levados para Mocimboa da Praia, em camiões basculantes e circulavam em atalhos de matas em matas, apenas nas noites, temendo a circulação de aviões militares, ao longo do período diurno. – Disseram-nos algumas fontes que de lá acabam de escapar. As mesmas clarificaram que capturaram uma servente do Hospital Distrital de Palma e pretendiam que ela fizesse todo o tipo de trabalho de um técnico de medicina geral. Aliás, eles tinham reagentes para paludismo, DTS’s e mesmo de HIV-SIDA, aos pontapés mas, apenas um e único amador usava-os, por instinto e era obrigado a frequentar um dia em cada uma das 3 maiores bases sendo a terciaria, exactamente em Mocimboa da Praia.

Um outro défice de gente procurada era mecânico e motorista pois, os camiões basculantes que carregavam pessoas de forma ensardinhada, eram conduzidos por amadores e a velocidade de camaleão. A dada altura, aperfeiçoavam a condução, no momento de andança. E pelo menos as duas camionetas basculantes usadas para o efeito, não chegaram ao destino, apesar de terem combustível suficiente para a circulação. Uma delas, teve de ser abandonada nas matas e a outra, ainda que fosse escoltada por insurgentes motoqueiros, teve de regressar. Aposta-se que um total de 16 viaturas, todas apoderadas, na sua maioria de carroçaria aberta, estejam nas mãos de insurgentes e em plena circulação, para um total de 5 a 6 “motoristas” que geralmente fazem circular seus superiores, subalternos e gente refém, num total de 650 vidas, em rotas e meandros clandestinos.

As outras ocupações mais procuradas no seio de incendiários de Cabo Delgado são, reparadores de telefone celular digital, pescadores e atletas de desporto recreativo.

Importa realçar que, garimpeiros, conhecedores do alcorão e poliglotas, entram nesta procura e preservação privilegiada no seio de insurgentes de Cabo Delgado. Algumas crianças e senhoras outrora raptadas, são moldadas para também engrossarem fileiras desta camada que actua contra o Estado Moçambicano, há 42 meses consecutivos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Subscreva a nossa newsletter diária

Verifique na sua caixa de correio ou na pasta de spam para confirmar a sua subscrição.