Opinião & Análise

Interpretando o ataque a Pundanhar

O ataque de Palma – Phundanhar, tem várias interpretações se não vejamos.

Insurgentes escalaram a tarde deste dia 26 de Outubro de 2020 o povoado de Phundanhar para primeiro, incendiar as casas que sobravam na povoação e ao se depararem com a população, deixavam os seguintes recados:

1 – “Viemos queimar todas as casas deste Phundanhar porque, os jovens que mataram muitos dos nossos irmãos (Insurgentes), são desta aldeia.”

2 – A qualquer momento, viremos nos vingar pela morte de muitos de nós. Preparem-se!

Importa referir que em Palma, há jovens que de forma voluntária, se entregaram às Forças de Defesa e Segurança e treinam intensa e incansavelmente nas bases militares pertencentes ao Estado Moçambicano. Os mesmos partilham o espaço de manobras militares, a alimentação e orientações de Comandos Militares. A diferença entre estes jovens voluntários e os militares é apenas de subsídios mensais.

As fontes do Pinnacle News dizem que estes jovens se fazem às matas, depois de passarem também por rituais míticos tradicionais, facto que triunfam. E já é do conhecimento de insurgentes, este detalhe que ofusca todo e qualquer plano de progresso de insurgência, em Palma e arredores.

Importa realçar que o Distrito de Palma encontra-se desde então, apenas isolado dos restantes Distritos Costeiros e tem poucos registos de ataques por parte de Insurgentes ou vala, apenas aldeias vizinhas de Palma foram atacadas e os combates foram sempre bem curtos.

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Subscrever a nossa newsletter diária