Rescaldos

Rescaldo Semanal de 05-12-2020

Internacional

Multiplicam-se vozes de intenção de apoio a Moçambique, contra insurgência localizada pela Província de Cabo Delgado. Para além do parlamento Europeu, os Países da SADC – Troica, Estados Unidos da América, Bélgica, Zimbabwe, Portugal (colônia-mãe) intervieram incisivamente no caso da insurgência armada dos alshabaabs de Moçambique. A ideia converge em eliminar antes que domem mais terras e proporções incalculáveis de estragos em Moçambique e além fronteiras. Cada um destes encontros e contatos tiveram desfechos a portas fechadas, numa altura em que analistas temem que a estas alturas de início de tempo chuvoso e até princípios de Abril, a situação possa ser embaraçosa, pela pouca visibilidade em tempo chuvoso e mata esverdeada em Moçambique. 

Apoios em ideias e material de guerra tem sido o denominador comum contudo, populares de Cabo Delgado auscultados pelo Pinnacle News acreditam que haverá sucesso caso haja mistura de tropas Moçambicanas com estrangeiras, desde que sejam de raça negra, contrariamente dos que forem de raça branca, no terreno que possam passar a ser alvos e troféus, pura e simplesmente por causa da cor.

Foi também boa nove nesta semana, o facto da Total ter anunciado haver disponíveis 40 bolsas de estudo em Bacharelato e Licenciaturas, para Moçambicanos em território Frances. As mesmas estão condicionadas pelo facto de serem prediletos, Moçambicanos nascidos pela Província de Cabo Delgado, local onde está implantado o Megaprojeto de hidrocarbonetos.

Nacional

Vários corpos de militares foram recebidos ao longo desta semana, em muitos Distritos de Moçambique, alegadamente por terem sido mortos em combate, pela Província de Cabo Delgado. Paralelamente a estas perdas, em redes sociais houve três interpretações a respeito destas perdas sendo a primeira, uma mínima de 25 militares perderam a vida pelo Distrito de Muidumbe, local onde insurgentes implantaram-se em 30 de Outubro de 2020. A perda destes números, foi devido a uma emboscada feita por insurgentes, no troço de 38 km que liga Mueda à Muidumbe. Parte dos que perderam a vida, foram trazidos de voo e depositados na morgue do Hospital Central de Nampula, local onde muitos Membros familiares tinham que abrir gaveta por gaveta da morgue, para tentar identificar se havia ou não, algum membro familiar. Outros internautas acreditam que, há ainda homens por serem localizados e que estavam na mesma missão.

Uma outra versão que massivamente circulou em redes sociais foi o facto de pelo menos uma Unidade de militares da Unidade de Intervenção Rápida ter morrido em circunstancias em que a medicina convencional não conseguiu esclarecer pois, vangloriam-se cidadãos de Cabo Delgado, Distrito de Macomia e povoado de Chinavane de que, um cidadão residente, de terceira idade e credenciado pela AMETRAMO (Associação de Médicos Tradicionais de Moçambique), oficialmente conhecido por Somar Alifo e vulgarmente conhecido por Bin Laden quem, convidou faz anos, outros dois Membros da mesma associação, para minar tradicionalmente os bairros de Licangano, Chinavane e Central de Macomia, contra qualquer malfeitor. No último ataque que levou dias, no Distrito de Macomia, estas aldeias bem próximas da Sede do Distrito, não foram rocadas por insurgentes e localmente interpretou-se que viam cacimba, todo o tempo em que por lá permaneceram. Desta vez, supracitados militares que por lá encontram-se acampados, são acusados de terem recebido ordens para criar desmandos e as dores inexplicáveis que culminaram pela morte dos mesmos, são interpretadas como sendo resultado da magia negra. Rumores semelhantes a estes são também relatados um pouco por todo o Distrito de Palma.

Em Macomia, militares e milicianos confundiram-se no campo de batalha, tendo resultado em fogo cruzado e consequente morte de um general natural da província da Zambézia e parte da sua equipa. Detalhes deste incidente entre outros supracitados, o governo poderá se pronunciar nas próximas horas.

Foi também noticia Nacional, a desmobilização de centenas de ex-guerrilheiros da Renamo pela província de Inhambane inclusive, alguns que apoiavam Mariano Nhongo. Para esta causa, o DDR já teve apoios financeiros de vários países e com o destaque, a União Europeia. 

O Ministério da Defesa Moçambicano emitiu alertas para que haja contributos para a criação de um plano de combate a terroristas e ao grupo Nhongo, em Moçambique.

Cabo Delgado

Nesta semana, houve relativa calmia no tocante a factos que envolvam a insurgência armada. Contudo, o Porto de Pemba vai dentro de algumas horas ser anunciado como sendo inoperacional, por muitos meses pois, uma embarcação posicionada no cais, acaba de embater estonteadamente, a estrutura de betão armado que servia para manuseio de carga diversa. Os estragos e danos adversos encontram-se a ser calculados e estima-se que se torne público, pela 2ª feira.

A Província de Cabo Delgado recebeu reforço militar vindo de Maputo, via terrestre e em quatro enormes viaturas. A estas alturas, todos foram reposicionados um pouco por todos os distritos e vão reforçar equipas já existentes.

Pelo menos um cidadão Nacional identificado num curto vídeo amador feito pelas forças de defesa de Moçambique, a beira mar, num dos distritos da Província de Cabo Delgado, esclareceu que muitos dos insurgentes eram jovens e crianças e ele estava comovido em denunciar suas posições. No semblante do vídeo, acredita-se que ele é desistente das fileiras das Forças Armadas de Defesa e Segurança e novo integrante das fileiras de insurgentes, por algum motivo não muito bem claro, no mesmo vídeo.

Foi apenas tornada pública a morte de pelo menos 7 integrantes da rede de Alshabbabs, no interior da maior Unidade Sanitária do Distrito do Ibo, na Província de Cabo Delgado. O acto é atribuido às Forças Armadas de Defesa de Moçambique que crivaram de balas, o tecto da maternidade, numa acção de elimina-los fisicamente, enquanto permaneciam no interior, assinando paredes e coleccionando farmacos e com intuito de leva-los às matas.

O Governo do Distrito de Montepuez conta com apoios de empresários do Município de Pemba, para ajuda humanitária aos deslocados de guerra. A falta de credibilidade para com empresários de Montepuez, segundo rumores, estes apenas dão ouvidos a preocupações da edilidade e não dos governos locais. Recorde-se que Montepuez tem sido o maior receptor de deslocados de guerra vindos de Mocimboa, Palma, Muidumbe e agora, Mueda.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Voz de Cabo Delgado

Subscreva a nossa newsletter diária

Verifique na sua caixa de correio ou na pasta de spam para confirmar a sua subscrição.