Nampula

Nacala Porto: Primos lutam e matam-se por posse de bens materiais e drogas pesadas

A Polícia de Nacala Porto, esteve empenhada na captura de Suheyb Abacar Cassamo, um jovem cujas prévias descrições, apontavam que é autor principal de um homicídio voluntário qualificado.
Meu marido era sempre ameaçado por Suheyb alegando que um dia iria lhe matar, um dia, iria lhe matar. Afinal, esse dia era hoje! – Disse a viúva com filhos menores de 10 anos.

E a vizinhança que contribuiu, logo que a Policia chegou no pátio da residência aonde houve briga disse: “Nós assistimos primeiro, a discussão entre a mãe de Suheib e o malogrado. Depois, chegou o Suheib e a mãe de Suheib ganhou forcas para começar a agredir o malogrado. Como ela é idosa, toda a porrada que lançava, era esquivada e chegou de cair. Quando caiu, o Suheyb foi buscar qualquer coisa la dentro e espectou-lhe de frente, por três vezes sendo, uma no mamilo, outra na boca do estômago e a terceira, perto do umbigo. Dali, ele tentou fugir a cambalear e sem falar, para dentro. A esposa começou a gritar a pedir socorro aqui fora mas, ninguém estava por perto e nem se levava a sério porque aquilo acontecia sempre naquele quintal. E quando ele foi para dentro da casa dele, caiu na sala e aqueles todos que lhe queriam bater, inclusive a mãe do Suheyb, foram lhe bater mais uma vez, assim estatelado. Aquele irmão de Suheyb fez o pior pois, lhe pontapeou a cabeça e acho que isso é que lhe levou a morte instantânea. – Frizou uma testemunha e a ultima testemunha do Pinnacle News disse que “eu cheguei tarde mas encontrei muita gente e muitos comentários sendo, uns bem antigos e outros recentes. Consegui ver a Policia a levar o corpo para o Hospital Distrital de Nacala (CETA) e a levarem a mãe e o irmão do Suheyb, esse que lhe chutou, para as celas. Na altura, o Suheyb, esse que nem tem carta de condução, levou um dos carros da família e fugiu do local de crime. – Rematou outra testemunha.

As nossas fontes disseram que estavam na origem destas acções, o excesso de drogas fortes no organismo do autor principal e acobertamento da sua pratica de venda activa, no quintal o qual pertence a toda uma família.

Nos meandros judiciários, nossas fontes nos esclareceram que o tipo de crime o qual, pelo menos três membros da mesma família são acusados, não merece caução mas sim, estão a ser recolhidas provas e evidencias para um próximo passo que é a transferência dos indiciados e o processo, para Nampula Cidade e diante de juízes com competências para o efeito.

Rumores dizem que esta acção pode fazer com que cada um destes membros de mesma família cumpram uma pena maior em Moçambique que é de 22 a 24 anos. De igual, há exames de sangue em curso que caso se comprove haver doses de impureza de heroína, assim como se suspeita bem como a condução ilegal da referida viatura, a pena ser agravada para um e outro.

Importa realçar que parte desta mesma família oriunda em Memba, Mossurir e Nacala Porto, encontra-se a abandonar imóveis que pertenciam as mesmas famílias temendo o pior, a cada dia que passa a semelhança de um possível ajusto de contas.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Voz de Cabo Delgado

Subscreva a nossa newsletter diária

Verifique na sua caixa de correio ou na pasta de spam para confirmar a sua subscrição.