Cabo Delgado

Há chacina em Palma

Neste terceiro dia de tiroteios na vila de Palma, fontes do Pinnacle News avançam de forma preliminar que dois terços da Vila Sede de Palma foi incendiada em três dias de ataques consecutivos. Há dezenas de civis com corpos decapitados ou baleados e pelo menos vinte e um militares também mortos em combate. – Vide um áudio já em circulação nos nossos grupos abertos.

Houve civís que fugiam da violência a escolherem várias destinos de refúgio a destacar, a República Unida da Tanzania, e parte dos refugiados encontra-se a ser acolhida. Entretanto, há vários filtros de militares das Forças Governamentais Moçambicanas, ao longo do trajecto, a fazerem selecção e “farejamento” de gente que intenta entrar na vizinha República da Tanzania.

Outros civis escolheram partir de barcos a vela, sem observar os limites de lotação das embarcações, de preferência, para a Cidade de Pemba e levaram três noites de luar e dois dias, em mar aberto. Muitos destes, viajaram pela primeira vez nestas condições e sem algum dinheiro ou comida para custear a viagem. Alguns barcos partiram sem a expressa autorização dos legítimos proprietários ou da Polícia Marítima. São embarcações a vela com 8 ou mais metros de cumprimento.

Os que escolheram apear via Phundanhar, já se apresentaram ou ultrapassaram Nangade ou Mueda, de preferência, a procura de refúgio.

A maior estância hoteleira denominada Amarula, na Vila Sede de Palma, encontra-se enclausurada e foi também centro de trocas de tiros e seguramente, o corpo de Direcção Governamental do Distrito de Palma encontrava-se neste local rodeado de seus guarda-costas e esperando por resgate. Os helicópteros escalados para proceder com o resgate destas personalidades evacuavam com sucesso pelo menos 10 estruturas do Governo por cada viagem, deixando outros mais de 600 funcionários do aparelho do Estado, na sua maioria professores, e outros dois grandes refúgios, esgotados de mantimentos (comida). Nossas fontes que enviaram recados via áudios, usando linhas de comunicação alternativa providas da multinacional Total, na qual afirmam que cada um dos que foi poupado a vida até ao final de semana, findo prazo, serão “eliminados”.

As 3 filiais bancárias, foram também alvas de saques e explosões de ATM’s.

A maior Unidade Sanitária Estatal local, foi abandonada pelo pessoal médico e posteriormente assaltada por vándalos da ISIS – “Mozambique branch”.

O quartel militar de Palma e infraestruturas governamentais foram desabadas com o recurso a armas pesadas.

Em termos táticos, todos os militares de Palma receberam orientações para se manterem nas suas posições e responderem contra alvos em movimento. Na península de Afungi, por exemplo, militares recebiam e mantinham em enormes esconderijos internos cidadãos que fugiam da violência. Consta que militares que foram indicados para responder com fogo contra insurgentes foram instantaneamente enviados de três grandes proveniências e de voos a destacar, de Maputo, de Mueda e de Pemba Cidade. Contudo, uma vez que insurgentes usam o mesmo uniforme de militares, há indicações de ter havido confusão de identificação e destinação de tropas sendo que, na posição 10’46″S e 40’28″E, houve colisão do tipo lançamento de engenhos de um helicanhão para uma posição verdadeiramente militar, em terra.

Apesar de ter havido evacuamento aéreo de personalidades neste Distrito, pelo menos uma aeronave recuou com seus respectivos viajantes, de volta ao aeroporto de Pemba.

A caça dos cerca de 100 insurgentes que entraram atacando em três direcções de Palma, em simultâneo, continua por parte dos militares posicionados em lugares tidos como estratégicos. Contudo, há momentos em que os disparos por parte de insurgentes pára e o Pinnacle News constatou que tem sido para rezarem ou se alimentarem, em comum.

Continua difícil contabilizar insurgentes abatidos por militares pois, os próprios insurgentes dão destinos aos corpos de seus colegas perecidos em combate.

A Total, que é a empresa encarregue pela futura exploração do Gás Natural Liquefeito, continua a manter seu “staff” para a manutenção da infraestrutura tal como cozinheiros, militares de especialidades, seguranças privadas, enfermeiros, principalmente. Estes, aguardavam para breve o regresso de tantos outros que fazem parte deste projecto mas que se encontravam evacuados para fora deste distrito e por um período de três meses e que expirou nesta semana.

A comunicação com Palma via telefonia móvel, continua deficitária e praticamente impossível por ter sido explodida a central local da operadora de telefonia móvel Vodacom e relatos sobre este distrito nortenho, pode-se obter de primeiros sobreviventes que encontram-se já a chegar, principalmente na praia de Paquitequete – Pemba.

dav

Com esta acção e pressão feita a civis, levou cerca de 4 meses de planificação e reestruturação interna e nada mostra o interesse de insurgentes em recuar, o que indica Palma estará deserta tal como Mocimboa da Praia, ainda no corrente mês de Março de 2021. Aliás, Palma encontra-se desde já, dividido em dois blocos sendo o residencial que já se encontra deserto a 100% e o local Projectado para a prospecção do gás e residências de reassentamento e implantação da Cidadela de Palma, dominada maioritariamente por militares das FADM.

Importa realçar que antes deste ataque, Palma estava super povoado por acolher primeiro, seus residentes nativos e depois, vários deslocados de guerra provindos de distritos vizinhos e também, trabalhadores de várias empresas que prestassem serviços de forma directa ou indirecta para a Total, facto que já condicionava a crise alimentar.

One Comment

  1. Carlos Dias

    Como se vê não existe Exército Moçambicano.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Voz de Cabo Delgado

Subscreva a nossa newsletter diária

Verifique na sua caixa de correio ou na pasta de spam para confirmar a sua subscrição.